Mobile: um mundo de oportunidades

29 de jan de 2013 | Publicidade

destaque_mobile_procriativo

Mundialmente falando, o investimento em mídia no mobile mais do que dobrou  no ano passado. Segundo relatório divulgado pela empresa eMarketer, especializada em dados de marketing digital, mídia e comércio eletrônico, a publicidade para celulares e tablets atingiu US$ 8,41 bilhões em 2012.

Na América Latina, o Brasil se destaca, com aumento estimado de 90,4% (a região inteira teve crescimento de 86%, segundo o relatório). Em 2013, a eMarketer projeta que esse percentual será de 80,5%, enquanto que no ano da Copa do Mundo a alta atingiria 92%. Já para o período da Olimpíada do Rio, quando o mercado estiver mais maduro, a empresa estima que os investimentos em publicidade mobile irão crescer 40,2% no País.

 

Mas por que investir em Mobile?

Ainda que o consumidor não perceba, as pessoas que acessam a web móvel esperam que o conteúdo seja entregue de forma rápida. Daí a importância de otimizar conteúdos para os dispositivos móveis.

O Brasil possui cerca de 224 milhões de celulares ativos (mais do que um aparelho por habitante), dos quais estima-se: 19 milhões são smartphones.

De acordo com o estudo denominado “A presença mobile das 500 maiores empresas do país”, o SMS é o recurso mais praticado pelas marcas no Brasil na hora de manter contato com o consumidor, com 29% das citações. Em seguida, aparecem aplicativos para smartphones (21%), sites móveis (17%) e plataformas para tablet (13%). A pouca utilização da tecnologia móvel por parte das companhias pode ser explicada pela falta de conhecimento desse novo mercado repleto de oportunidades.

 

É só uma questão de (pouco) tempo para que o mobile marketing passe de tendência à realidade. Com o barateamento dos aparelhos, a chegada dos tablets e a adoração do brasileiro pelas mídias sociais, ter um aplicativo para mobile será tão comum para uma empresa quanto ter um site. E o grande beneficiado com isso será o consumidor, que usufruirá de uma gama mais diversificada e qualificada de produtos e serviços, havendo até a possibilidade de ser bonificado por isso.

O raciocínio para essa previsão é simples: existem hoje disponíveis para download impressionantes 330 mil aplicativos para iPhone e 206 mil para aparelhos Android. Nesse oceano vermelho de ofertas, tão precocemente saturado, as empresas “retardatárias” terão que usar artifícios para destacar seus aplicativos, como proporcionar uma experimentação diferenciada ou descontos e brindes exclusivos para seus usuários. O uso de games vinculados às marcas, que premiam os melhores jogadores, também deverá ser uma tendência. O fato é: cada vez mais a tela do celular será um espaço valioso.

Vale lembrar que o celular está conosco praticamente 24 horas por dia, sendo utilizado como despertador, rádio, televisão, agenda, guia de ruas, para troca de mensagens, acesso às redes sociais e, lógico, até como telefone.

As empresas disputarão espaço nos displays dos nossos aparelhos para estampar sua marca e se relacionar conosco. Estar na primeira tela do nosso device será como estar no horário nobre da TV. E quanto mais influente for a pessoa, quanto mais seguidores tiver no Twitter, no Facebook e no Foursquare (aplicativos de geolocalização serão um diferencial) maior a possibilidade de ela ser bonificada.

No país, percebe-se a atual necessidade dos anunciantes separarem parte do  orçamento para os canais mobile. Este fato se deve as grandes tecnologias atuais que já afetam os negócios, a sociedade e até mesmo o comportamento do consumidor final.

As pessoas acessam a internet de qualquer lugar, instalando aplicativos, acessando suas redes sociais, comprando produtos e consumindo mídia. Os usuários estão, cada vez mais, dividindo o tempo que passavam com as outras plataformas, como TV e computador, com o seu smartphone. As empresas passaram a investir em mobile marketing para divulgar seus produtos de maneira mais eficaz e direta. Dessa maneira, os anúncios publicitários ficaram muito mais evidentes nos dispositivos, a fim de proporcionar uma maior interação entre as marcas e seus respectivos públicos.

Mesmo que o mobile marketing ainda tenha dificuldades para atingir todas as classes, a pesquisa aponta que os consumidores são receptivos à mensagens que ofereçam serviços e produtos presentes no seu dia-a-dia.

As possibilidades de interatividade aproveitando os recursos dos aparelhos são inúmeras e agregam valor para os usuários. Os consumidores estão atentos a todas as inovações do mercado e abertos ao que ele tem a oferecer. Na era da internet, os usuários de celulares desejam manter um laço de relacionamento aberto com as empresas das quais tanto consomem.
Fonte:

Infográfico – Por que Investir em Mobile Commerce

Gotta Be Mobile

Meio e Mensagem

Posts relacionados

Postado em Publicidade
por Procriativo - ( )

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *