CMS, porque não usar.

17 de set de 2013 | Diversos, Web

cms1

CMS, Content manager system, sistema de gerenciamento de conteúdo, como o nome já diz, é um conjunto de ferramentas que permite que o conteúdo de um site seja administrado, assim como sua aparência, funções e recursos.

Possui funcionalidades de publicação, que permitem que o conteúdo possa ser criado e editado por qualquer pessoa, não necessariamente um programador ou alguém que conheça o sistema a fundo. Pode-se dizer que um CMS assemelha-se a um framework (um esqueleto) de um site pré-estruturado com os recursos básicos.

Os principais CMSs utilizados no Brasil são o WordPress e o Joomla.

Há uma facilidade muito prática no uso dessas ferramentas, o que permite que até mesmo a pessoa mais leiga em relação à programação possa usá-las sem dificuldade alguma, além de permitir que equipes editoriais trabalhem simultaneamente em um conteúdo, e que o mesmo seja revisado e editado antes de ser publicado. Porém, ao mesmo tempo em que essas plataformas simplificam o gerenciamento de sites, elas também se tornam alvos fáceis de invasão e roubo de informações, pois o sistema é fácil de ser usado e também, invadido. Por um lado, toda essa dinâmica dos CMSs contribui para que o número de blogs pessoais e sites de entretenimento aumentem, gerando mais conteúdo na web, por outro lado,  não necessariamente significa que esse conteúdo seja confiável ou relevante.

Muitos profissionais que adotam os CMSs como base de desenvolvimento têm conhecimento técnico básico e preferem a ferramenta exatamente pelo seu fácil manuseio.

Por ser uma plataforma de natureza não comercial, não existe um compromisso por parte das entidades mantenedoras em corrigir rapidamente eventuais falhas de segurança que são identificadas pelas comunidades. Pode demorar semanas ou até meses para que a atualização de um problema seja publicada e muitas vezes, as mesmas devem ser realizadas manualmente, aumentando assim a exposição do site, blog e/ou intranet. Trabalhar com um “modelo” pré-concebido também implica em aceitar algumas características, restrições ou limitações desse “modelo. A aparência do site, apesar da prática da customização, também fica de certa forma limitada pelo sistema de templates do CMS, tirando o fato de que o sistema ainda é frágil, o que aumenta as chances de pishing e spam.

Logo, CMSs facilitam a criação de blogs e de conteúdo, porém para uma empresa que pensa em manter um site, e preza pela segurança de seus dados e informações sigilosas, talvez seja melhor repensar o uso desse sistema e contratar empresas que ofereçam soluções específicas que atendam as suas necessidades.

Posts relacionados

Postado em Diversos, Web
por Procriativo - ( )

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *